Thaiz Carvalho Psicóloga

Psicoterapeuta Rabiscos

Psicoterapeuta

Esta tal de CULPA... - 03/05/2016

Repetidas vezes eu escuto , tanto no consultório, como de amigas mães que o sentimento mais frequente após a experiência da maternidade e a CULPA.

Na primeira vez que eu fui na minha análise, após ter tido meu filho, eu ouvi da minha psicoterapeuta :- " bem vinda ao colar de culpas"...
Hoje, em uma aula deliciosa que tive privilégio de ter, trouxe para meu professor, porque será de tanta CULPA, que aparece com a maternidade... E ele com uma didática show decorreu dizendo que esta CULPA tão legítima, vem após o sentimento de ódio que muitas vezes também experimentamos por quem amamos...neste caso os nossos filhos...

Curiosamente me assustei quando ele trouxe esta informação e ia questionar, mas achei melhor me calar e tentar me perceber diante dos momentos que me sinto tão CULPADA...

Sim, as 9 da noite, EXAUSTA, quando as crianças me solicitam e querem brincar me sinto MUITO culpada. Como eu queria querer brincar! Jogar no chão... Não medir o tempo... Nem esforços... Mas muitos dias não consigo. Me da raiva TER q... Me da aflição me cobrar q deveria ter disponibilidade... Sou tomada de um cansaço que não consigo
Me entregar ...e me alivia pensar na hora que irão dormir!!!
Nosssaaaaaa que CULPA! Basta eles dormirem que já na hora eu me arrependo de ter pensando tudo aquilo...
Como assim, eu não querer q eles fiquem
Acordados para curtirmos juntos o fim de um dia que nem ficamos tão juntos?

A culpa de não ser a MÃE , ideal e onipotente que eu fantasiei que seu seria. A culpa de ter desejos por várias coisas que não são ligadas SO aos bebês. A culpa de gostar de ficar no facebook lendo e ao invés de estar sentada no chão brincando com eles...

Fiquei com isso na cabeça o dia todo...
A culpa de sentir raiva daquele q tanto amamos? E é por esta quantidade de amor imensurável que o filho provoca que não fica permitido odia lo? E por isso a culpa???

Nossa q complexo!!!! Será q é isso mesmo? Rs

Oq ficou pra mim e que encontrar o lugar permissivo para a vazão desse sentimento não tão aceitável ... Que tentamos reprimir ... Pode ser o caminho para aprendermos a lidar com esta sensação taoooo pesada.

Sugiro ai mais uma razão pelas quais as mães de primeira viagem deveriam ser "
OBRIGADAS" a passar por um processo terapêutico após a maternidade, Rs.
Este é o melhor lugar para canalizamos o nosso " Pior eu " Que será libertador para o nosso " Melhor eu!" ... :)


Meu Bebê crescendo - 18/12/2015

Eu AMO levar meus filhos para passear... Independente de meu cansaço... De como tenha sido meu dia , Atualmente coloco como prioridade leva los para brincar, distrair, jogar bola, praticar esportes, curtir com os amigos... Eu faço isso com muito carinho e disponibilidade. Não sinto nenhuma Preguiça ! Chamo
Minha amigas mais próximas e caímos nos deliciosos passeios ....E hoje não foi diferente! Tivemos um convite saboroso para passar o dia ao lado de um grupo , bem identificado com a nossa realidade. O Alpha mães. Moradoras de Alphaville, reunidas em um pequenoParaíso , mega estruturado para um dia inesquecível com potenciais amigas e os filhos juntos. Que iniciativa top! Delícia de Momento! Chegamos... Recebidos com um super café da manhã... E fomos apresentados aos Monitores... Miguel grudou na minha perna e em seguida me disse;- "Mamae estou com vergonha!" ... Logo conversei com ele que entendia... Eram algumas pessoas desconhecidas até então , mas que deveria ir conhecer que assim a timidez passaria...
É assim foi! Junto com os
Monitores e outras crianças Miguel foi no parque... E as mães foram caminhar!!! Ansiosa por um momento só meu, também fui caminhar, e espantosamente meu celular toca,no meio da caminhada ! Era Miguel , dizendo q queria q eu voltasse ... Voltei assim q encerrou e ele estava me esperando. Em seguida me disse:- "
Mamãe estou com muitas saudades de vc!" Dai eu disse:- meu filho, hj o dia e para a mamãe curtir com as amigas um pouco e você com os amigos... Ah, mas eu quero ficar com vc!
Bom! Entendi!!!
E fui com ele para a piscina! Lá me pediu fotos... Filmes... Dele
Mergulhando! No caminho para a piscina soltou assim:- "mamãe, deixa q eu vou na sua frente! Para eu não me perder de vc!!" E vc leva a helena no colo...
Sensacional!
Capitei!
Miguel precisava que eu estivesse olhando para ele! Inseguro em um lugar novo... Com pessoas diferentes... Inocência e egoísmo
O meu achar q ele não sentiria isso...
Brincamos... Fui dar almoço ... E em seguida se soltou!!! Parecia não precisar tanto
Mais de mim... Estava seguro!!! Conseguiu brincar!!! Ufa!:)
Eles precisam saber que estaremos sempre " olhando " para eles... Senão não evoluem... Eles roubam mesmo a nossa psique... A nossa atenção para conseguirem caminhar! O olhar da mãe e a segurança.. A esperança.. O sinal do bem estar que muita vezes eles não conseguem ter sozinhos...
Foi ao teatro... Dançou no palco... Fez caça ao tesouro ...
E meu filho! Vc me ensina na pratica oque eu estudo da teoria... Desculpe muitas vezes não perceber e também querer um espaço só pra mim... Obrigada por ser esta criança que " fala" com tanta clareza tudo que sente! Eu prometo tentar interpretar mais do que responder às suas inúmeras perguntas...
Vc é especial! Eu te amo
Meu orgulho! :-)
‪#‎meubbcrescendo


Satisfeita com minha escolha - 29/10/2015

Se existe algo que eu amo na minha vida é atender!!!
Eu tenho um tesão na minha carreira que eu não sei explicar. Acho que a psicologia e a psicoterapia podem salvar o Mundo! Rs Pelo menos o meu Mundo deve ser salvo por ela .... diariamente... A cada encontro... Com cada paciente... A cada insight e a cada descoberta... A interpretação... O Pensar... Os caminhos sendo escritos e assumidos... O compartilhar das angústias e dos olhares... O filosofar do outro em sua experiência... O tanto que é único ... O tanto que é rico... O tanto que me da prazer!
Todos os dias eu saio da clinica com uma Motivação inexplicável! Eu volto para casa sempre muito feliz e em especial hoje!
Satisfeita com a minha escolha! Convicta dos lugares que ocupo e do que está ao meu redor. Grata por tudo que ganho em torno da minha luta! E olha que não é pouca... Porque me esforço muito para dar o meu melhor... Tenho entrega... Tenho Paixão... Apaixonada..É assim que me sinto hoje!
...E agora é correr para o abraço daqueles dois lindos que completam a minha alegria!!!....
Obrigada vida!:)
‪#‎amooqueeufaco ‪#‎gratidaoportudo. ‪#‎motivacaoamil


A hora da refeição - 26/09/2015

Como é complexa a hora de uma refeição após a chegada dos meus filhos! Quando eu não os tinha era tão espontâneo e natural sentar e comer aquilo que eu queria.simples! Hoje este assunto chega ser tema de sessão de terapia... Tanto da minha quanto de algumas pacientes maes.
Começa no café da manhã. Já tudo separado e preparado . Cortado quadradinho e adivinha? Mamãe não quero... Quero só o tete!!! Ou um Danoninho... Ok tranquilo... Mas quero comer sozinho!!! Ahhhhhh... E suja tudooooooo.... A minha fome que pela manhã ainda é tranquila , e logo deixada de lado pela tomada de um café rápido... E já com o humor alterado com certa preocupação de ter q serem trocados de novo... Vai sujar uniforme e tal... Eu sujo uma torrada de margarina e corro para irmos embora.
E dai chega o horário do almoço! Ah.. Agora sim vou comer! E adivinha? Logo 2 companhias ocupam minhas pernas... Ah tadinhos! E a sensação que eu tenho... Estão com saudades da mamãe. Então ta! Sentam no colo e com um certo malabarismo tento dar umas garfadas da comida que já esfriou... Mas até aí a fome vai sendo matada... Kkkk tento coloca los na cadeira do lado, mas chorando gritam que não querem ir. Ok! Enquanto isso a faca já virou arma, arremessada contra a parede. O garfo já espetou todos os pedacinhos de carne que foram cortados em quadradinhos para facilitar a minha administração de tarefas. :- Miguel filho, deixa a mamãe comer! Ah naooooooo.... :- Helena, tira a mão do meu prato... E todo o arroz sendo espalhado para fora...
Ok. Desisto. Ta bom já matei a fome. E dai chega o jantar. Ah! Acho que agora vou conseguir afinal o papai estará junto. Sentamos , é óbvio nosso colo já e rapidamente ocupado. Depois decidimos tomar um vinho para relaxar e em 5 minutos o mesmo está no meio do prato, com a taça lascada pelo tombo que um deles fez acontecer após dizermos 10 x que iam bater e cair. Ó meu jantar vira sopa... Jogo o prato fora e começo novamente organizar a suposto jantar. Logo , após 2 garfadas, sou chamada pela seguinte frase:- " mãe, vem me limpar! Quero fazer coco!!!" Corro antes q escape e confesso que meu apetite já fica novamente alterado após o cheiro e tal limpeza! Rs
Bom. Voltemos a tentativa do jantar já levemente irritada. A comida bagunçada, fria, o marido já jantado! Acho q perdi o apetite...
Juro! Nunca dei tanto valor para a tranquilidade em uma refeição! Será q um dia isso novamente existirá? Rs
Borá engolir o lanche rapidão com os frios restantes da geladeira pois to com sono.. Já exausta...e querendo Que tudo acabe... Pois logo recomecara amanhã! Se Deus quiser! Rs
‪#‎maenaocome ‪#‎maeengole


Que inveja que eu sinto da paternidade! - 17/07/2015

Não que meu marido, não seja um bom pai. Longe disso. E muito querido com as crianças. Dedica se com carinho a eles no tempo que lhe sobra. Todos os seus planos hoje incluem o bem estar dos meus filhos. Eles são prioridades . Organizou se de uma forma que pensa muito no futuro das crianças. Escolhe o tempo todo o que e melhor para eles. Não fica 1 dia sem beijar loucamente os 2 bebês nem que estejam dormindo quando chega. Leva na escola com toda animação possível das deliciosas músicas que cantam juntos. Apresenta os filhos , ao mundo e aos amigos , com um orgulho que faz brilhar os olhos. Explode de amor quando conversamos sobre os bebês. Enxerga os 2 como as crianças mais bonitas que já viu e sei que agradece muito a Deus estes presentes da vida. Porém ele e pai! Não e mãe...
Depois que eu virei mãe, eu preciso confessar a inveja que eu sinto de ser pai. Rs
Da para entender?
Vou tentar explicar.
Tenho a impressão convicta que o filho e da mãe. Ponto.
Percebo que o pai não tem metade das culpas e das angústias que a maternidade nos propõe sentir. Tem hora que acho mais prático ser pai. Existe um raciocínio mais lógico, menos louco, comparado ao meu, que sou mãe. Eles não sentem o mesmo pavor, a mesma insegurança, a mesma dificuldade em assumir todos os compromissos. Parece que a rotina regrada ,os limites para a criação do bebê são menos importantes.
As vezes acho que eu sou a " doida" , " a chata" , mas também aposto que preciso ser, pois se eu não apresentar aos meus filhos o
Mundo neste formato que eu acredito ser o melhor, o pai também não o fará. Repenso todos os dias se estou dando o
Melhor de mim...
Pois bem..O que me deu a certeza de que tenho inveja da paternidade foi o dia que fiquei com muita raiva ao ver meu marido combinando uma viagem com os amigos. Há?? Como assim?? Ele vai e eu fico?? Sim, ele vai e eu fico. Porque ele consegue ir e aproveitar os amigos sem culpa, curtir, distrair. As crianças estarão bem cuidadas por mim e provável por mais alguém que me ajudará. Mas eu não consigo. Q inveja eu sinto! Eu jamais consegui ir almoçar com uma amiga e bater papo , deixando os bbs. Imagina viajar com as amigas!?? Isso e impensável . Ir com o marido sim, afinal e importante para o casamento ...mas com as amigas... Nem
Pensar. Não cabe dentro do meu universo psíquico está possibilidade. E dai , com
Muita raiva da proposta que ele estava organizando , eu percebi que jamais me incomodaria com a viagem dele com os amigos, desde que eu também me permitisse. E detalhe... Ele me incentiva ir. Quem não consegue sou eu! Rs Conclui então que a inveja dessa sensação de liberdade que a paternidade proporciona não e a mesma da maternidade experimentada por mim.
Passaria aqui listando " mil " exemplos. Uns mais simples como dormir a tarde no final de semana após o almoço, independente dos bbs dormirem também... Ir ao Cabelereiro sem pressa, almoçar com os amigos sem culpa de deixar as crianças, não contar os minutos no trabalho para voltar para casa... Encaixar o horário do pediatra, da natação, do futebol, nos horários da rotina. Combinar o laço do cabelo com o sapato que ela ta usando e não permitir que o filho durma sem escovar os dentes... Aiiii... Muito mais leve!
Tenho a impressão que o pai distrai e eu como mãe, sinto dificuldade em abstrair a condição de cuidar.
Eu não troco ser mãe por ser pai, pois amo está posição e faço todos estes movimentos pelos meus filhos com o maior prazer do
Mundo . Mas preciso admitir a " inveja" que sinto de perceber que o pai inclui os filhos na vida deles " do jeito deles!" ... Mas quem troca a identidade com a chegada dia filhos, e a mãe!
Não acho que ser pai e fácil. Nem pensar. Mas sem sobra de dúvida acho que ser mãe e muito mais complexo...
E você? Como encara a diferença destes 2 universos?
Ps. O sentido da palavra " inveja" utilizado, significa a inveja boa= queria para mim sem caráter de destruição ao outro.


Doideras de mãe - 04/06/2015

Uma das partes mais difíceis que a maternidade me propôs foi viver o tempo todo com o estado de consciência alterado. Tenho a impressão que desde que me tornei mãe nunca mais consegui relaxar e apenas vivenciar a " minha psique". Engraçado que quando eu ouvia que " emprestaria a minha mente, a psique" ao bebê , eu não tinha a menor noção do que era. E hoje tento traduzir em palavras o que é isso e me certifico, através de tantas outras mães, que tenho o privilégio de conviver ou como amiga, ou como paciente que esta sensação é " unânime".
Descubro então que está é a condição materna. Nunca mais ter a psique devolvida! Rs. Eu ouvia dizer que era emprestada... Não dada!! Kkkk
Pois bem. Os nossos desejos ficam de lado. Não relaxamos. Para descontrairmos o bebê precisa estar dormindo aos nossos olhos. Distrair parece algo do passado porque onde quer que vá, sem eles, vou com pressa e angustiada em te los deixado. Comer sem ser interrompida não existe. Fome e coisa para fracos! Come na hora que der. Falar no telefone com uma amiga não consigo! Jogar papo fora então, e luxo!
Parece que em paralelo a " minha psique" eu desenvolvi " uma outra" . Um campo enorme, preenchido de um conteúdo que me ocupa por inteiro e que deixou a vida diferente do que eu imaginava.
Tenho crescido muito com a experiência de viver neste formato. Confesso que me sinto mais ansiosa, meio aflita em alguns momentos para dar conta de tudo da melhor forma.
Sinto me gritando na hora errada. Cansada nível Master.
Saudades do tempo que tudo era livre...leve.. Que tinha apenas os meus desejos para satisfazer...
Está noite Helena pediu o " tete"! Nossa que alívio, eu senti! Não tenho mais que adivinhar o que ela quer... O que ela precisa... Mas ao mesmo tempo me apertou o peito...
Olho para meus bbs... Q já começaram a ser criança... E Me da saudades e vontade de viver toda esta " loucura" de novo e para sempre pois eles são algo inexplicavelmente maravilhosos... Que me põe em desafio diário E que minha paixão só cresce...
‪#‎doiderasdemae ‪#‎padecernoparaisoefato


Chegada de um(a) irmã(o)- 31/05/2015

Ganhar um irmão/a não é uma tarefa fácil para uma criança ou um Bebe, como foi no meu caso.

Com Menos de 2 anos meu filho Miguel foi obrigado a dividir o colo da mamãe. Nossa, tão pequenino ainda e já era o irmão mais velho. Raiva, ódio, agressividade, ira.Sim estes sentimentos Miguel apresentou com frequência em relação a irmã que era tão inocente ainda. Que do! Que raiva... Eu tb fiquei enlouquecida em ter que lidar com mais este dado já que não era nada fácil no meio de tanta novidade!!
Como assim o meu príncipe era capaz de atirar nela o seu carrinho? E o dia que ele enfiou um canudo no olho dela!!!? Cheguei chorar em presenciar uns tapas muito fortes que marcavam aquela pele tão branquinha... Mordidas... Empurrões... Nossa ! Não foi exagero... Aliás, antes fosse ...insuportável !!! Não queria...
Helena tão doce... Com um
Olhar apaixonado pelo irmão e ele não suportando a presença dela! Chegou me dizer um dia:- " eu não gosto dela!" " quero que ela vá embora!"
Os amigos e primos do Miguel sofreram respingos dessa sensação... Também apanharam... Quando tentavam dividir algo que era dele! Algum brinquedo... Alguma bola... Alguém... Que vergonha! Que chato!
Suspeito pensar que a partir do
Momento que eu consigo me conectar novamente ao
Miguel, e que eu incluo a helena , permitindo que o lugar dele esteja preservado , ele volta a funcionar mais saudável. O instinto de ocupar o seu lugar foi protegido da forma mais selvagem ... Afinal ele era um bebê! Não tinha recurso nenhum , tão pouco defesas que pudessem ajudá-lo naquele momento tão
Inseguro. Com a experiência, ele repara que e possível sim , ele manter este lugar e te lá com a gente e transformar esta possibilidade em excelente movimento! Ah Miguel, se eu tivesse esta noção talvez também tivesse lidado diferente e te protegido em outro formato... Mas era o que eu tinha até então...
Pois e... Assim segue e após algum tempo parece que ele aprendeu a lidar com a sensação de ciúmes . Acredito que este foi o sentimento disparador de toda seu mal estar.
Hoje ele a protege. Brinca. Faz carinho. Não pega uma bala sem
Levar uma para ela também. Ensina todas as brincadeiras que aprende e a inclui em todos os seus programas.
Se ganha um presente, antes mesmo de abrir o dele, pergunta Cade o da " Helena"?
Gargalham. Riem de tudo.
Ela continua com o olhar apaixonado por ele , mas agora desfrutando do privilégio em ter um irmão!
Obrigada vida, por mais está experiência que me Fez entrar em contato com mais sentimentos que nunca imaginei que existissem... E o melhor e poder pirar em ser mãe do amor destes 2!:)


Estou mãe e agora- 07/05/2015

Bem-vindo Miguel chegou!! Nossaaaa que delicia de encontro! Que emoção conhecer a carinha do meu filho...!! Ele e loiro!!!! Ele e lindo!!! ...maravilhoso!
Vamos para o quarto e aí o encanto começou a ser desfeito...
Cesárea não dói! Para mim doeu ... E muitoooooo! Muito além do que imaginei. Nossa e a dor na hora errada sabe? No Momento que eu mais queria ter disposição...aff
Amigos por perto... Familiares também... Ajuda por todos os lados... E eu me sentindo sem chão! Sozinha... Fraca..sem energia... Sugada... Cansada...
Cade eu??
Cade tudo?
Que difícil foi a minha apresentação para a maternidade!
Noites mal dormidas! Dores para amamentar....Marido também cansado... Presa nesta rotina...!Perdida!!! Nossa que exaustão! Estou mãe! E agora?
E A minha carreira? E o que estudei? Ixiiii... Impossível pensar em ouvir alguém se a minha escuta estava totalmente concentrada no meu Bb..Fora do corpo... Aliás e que corpo ... Que por mais de anos havia virado Apenas fonte para o meu bebê...
Nós primeiros meses fiquei " out". Fora da caixinha. Fora de mim. Desconhecia todas as sensações que eu experimentava. Q aflição! E a fala que me vinha era... " estou mãe", e agora?
Um mistura de orgulho do grude com meu bebê e saudades da liberdade. Uma mescla de alegria e cansaço . Queria dormir mas não queria ficar longe. Queria sair mas 5 minutos na rua eram horas... Tudo paradoxal.
Passado os meses... Parece que as experiências vão se encaixando novamente. Parece que o furacão havia passado... Oque era novo já não me assustava mais tanto...
Desorganizou. Mexeu. Bagunçou. Doeu!
Eu não nasci mãe, apesar de sustentar a ideia de que o sexo feminino por instinto precisa reproduzir. Perto nos desejos, mas bem longe na prática. Sempre quis ser mãe. Mas não sabia ser.
Miguel me ensinou ser mãe!
A minha experiência na maternidade e única e revista todos os dias para ser melhor. E também percebo que a minha entrega cresce! Quanto mais a nossa relação acontece , mais legal está... E parece infinita a satisfação com o mundo novo que a maternidade me propôs...
Neste dia das mães quero dar parabéns a todas as mães que assumem a parte " não sublime" na experiência da maternidade. Mas a maternidade como a " melhor e mais satisfatória " experiência do
Mundo! Tão boa , que logo quis mais um... Helena... E que chegou para comprovar que sim eu já estava mãe!!! E que dai tudo era bem
Mais fácil... ( qq dia escrevo sobre ser mãe de segunda viagem!)
Obrigada a todos que sempre dedicam alguma palavrinha me incentivando na prática da maternidade e colaborando para que eu experimente o
Meu melhor jeito como mãe!
Que venha mais um final de semana especial...


Vale a leitura

Miguel foi " vítima" deste sentimento quando ainda era bebe... Helena chegou em nossas vidas e Miguel não fez a menor questão em esconder a invasão e o mal estar provocado por ela... Hoje após 1 ano e pouco a amizade e parceria dos 2 parece cada dia mais intima ! Além de se divertirem muito e ela demonstrar ser " apaixonada" por ele!! E capaz de tirar a chupeta da boca e dar a ele, e mole!? Este tema e bem legal... Vale a pena ler o texto.
https://m.facebook.com/story.php…
https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=895464530515684&id=100001564365352


Ser mulher - 08/03/2015

Minha experiência...:- ser " mulher" em uma geração estimulada para ser " macho"?
Nasci em uma geração esquisita quando o tema que me vem em
Mente são as mulheres. Meus pais sempre incentivaram que eu fosse independente e nunca precisasse de $ do marido. Trabalharam sangue para investirem em minha educação , incentivando para que eu tivesse minha carreira. Deram
Milhões de conselhos para que eu me tornasse uma mulher inteligente , com o Intuito de me tornar forte . Abaixar a cabeça, jamais. Nunca fui ensinada a cuidar das tarefas do lar. Minha mãe não me via cuidando da casaLavar roupas, arrumar as loucas, cozinhar nunca foram tarefas , que eu tenha sido aplaudida ao fazer. Sempre alguém fez por mim.
Com 18 anos , meus pais não viam a hora de eu tirar minha cnh, pois assim o Mundo poderia ser mais confortável e semLimites para mim. E acreditem, meus pais queriam que eu tirasse o tipo "C" que tem liberação de dirigir caminhão e ônibus... Justificando que vai que eu precisasse... Era muita autonomia... Pois bem!!! Fui...
Quem conviveu comigo sabe que nunca me senti impedida por nada. Metidinha e exibida para alguns. Corajosa aos olhos dos outros...
Fiquei, namorei, casei!!! Pois bem! Bem-vinda ao
Mundo da mulher!!! E aí? Como fazer?? Virar esposa. Arrumar tempo para cuidar do marido. Delegar ou arrumar a casa. Eu não sabia.
Pouca disponibilidade para fazer as compras de supermercado. Eu não encontrava o melhor momento para ir. Como assim, se eu tinha que continuar estudando? Não podia " perder tempo!! " E o Meu doutorado? Deixar um jantar pronto quando meu marido chegasse , para mim parecia coisa de novela... Lindo!! Mas distante de mim... Voce acha mesmo que eu deveria deixar de atender os pacientes que só poderiam vir a noite? Lógico q não!!! O certo até aquele momento era pedir a pizza ao chegar, e exaustos devoraríamos... Bom, até aí a "Macho" estava viva... Rs. Pois bem! Virei mãe. E dai o bixo pegou.... Precisei resignificar muita coisa. Virada do avesso..o Simbolizava ser mulher veio com toda força. O instinto tomou conta. Nasceu!! Brotou em MimUmaMulher. Hoje gosto de cuidar da casa. Todos os detalhes da mesma, passam
Pelo meu palpite. Adoro fazer a papinha das crianças e sem
Pressa alimenta las. Valorizo o cheiro do amaciante nas roupas. Piro
No aroma de um bolo, saindo do forno ao cair da tarde. Quero cuidar do meu corpo, que eu não dava muito bola, mas a maternidade modificou. Valorizo as horas que dedico a mim. A minha escuta e diferenciada quando estou atendendo, pois a minha compreensão de mundo está bem além de qualquer teoria. Deixo de atender para levar o meu filho no futebol sem culpa , pois este lugar me faz se sentir satisfeita demais. Para eu me reconhecer Mulher, eu precisei ser mãe! E quer saber?? Amei!!
Parabéns as mulheres que amam ser mulheres e equilibram o tempo todo está incoerência da nossa geração! Feliz dia 8 de março!